Avançar para o conteúdo principal

O que é expiação na bíblia?

 


A palavra “expiação” (“kaphar” em hebraico) significa cobrir (Lv 16:6, 10-11, 16-18, 27 etc.). Os sacrifícios pelo pecado no Velho Testamento fizeram isso, “cobriram” os pecados do povo diante de Deus (Sl 32:1). A expiação possui 2 aspectos:


  • A PROPICIAÇÃO – atende às santas reivindicações de Deus contra o pecado.

  • ASUBSTITUIÇÃO – atende à nossa culpa.


No dia da expiação, que ocorria todo ano o sacerdote após fazer sacrifício para si e sua família, pegava dois bodes. Um dos dois bodes era levado ao altar e era morto, e seu sangue era aspergido “sobre” o propiciatório a tampa da arca da aliança. Isso fala de propiciação que atende às santas reivindicações de Deus contra o pecado. E é figura do sofrimento e morte de Cristo que a natureza santa de Deus reivindicou, tendo Cristo concedido uma satisfação completa às reivindicações da justiça divina.


Em seguida, o outro bode, tinha os pecados do povo confessados sobre ele e era enviado para o deserto (vs. 21-22). Isso representava os pecados sendo confessados (Sl 69:5) e carregados (Is 53:12) por Cristo na cruz. Cristo assumiu nossa posição de culpados sob o julgamento de Deus, e assim suportou os nossos pecados em Seu próprio corpo sobre o madeiro (1 Pe 2:24)





Propiciação é para todo o mundo (1 Jo 2:2 diz: ele é a propiciação pelos nossos pecados e não somente pelos nossos próprios, mas ainda pelos do mundo inteiro. ), mas a substituição só se aplica para aqueles que creem. Por isso é incorreto anunciar para um público de incrédulos que Cristo morreu pelos seus pecados, ou que Cristo levou seus pecados. Ele só levou os pecados daqueles que creem – os “muitos” de Isaías 53:12 e Hebreus 9:28. Então o mais correto ao evangelizar seria dizer que Cristo morreu para salvar os que creem nele.


Apalavra expiação que como dissemos significa cobertura não aparece no novo testamento porque a obra consumada de Cristo fez muito mais do que fornecer uma cobertura para o pecado. Todavia encontramos propiciação e substituição de forma direta e indireta no texto neotestamentário. 


Romanos 3:25 mostra o lado de Deus na obra de Cristo na cruz, enfatizando a propiciação, enquanto Romanos 4:25 mostra o lado do crente na obra de Cristo na cruz, enfatizando a substituição. Em 1 Pedro 3:18, o apóstolo Pedro liga estas duas verdades, e então acrescenta a elas a verdade da reconciliação. Ele disse: “Porque também Cristo padeceu uma vez pelos pecados (isso é a propiciação), o Justo pelos injustos (isso trata de substituição), para levar-nos a Deus (isso se refere a reconciliação)”. 


Por isso, a partir do momento que você crê em Cristo passa a ser reconciliado pela obra Dele. Porque o problema do pecado já não é mais um problema para os que creem em Cristo. Mas se isso é verdade porque continuamos a pecar? 


Comentários

Mensagens populares deste blogue

A mulher santifica o marido? O que significa Santificação relativa ou provisória?

  No último vídeo explicamos que santidade significa  “ser separado”, separado para Deus. Explicamos também que existem basicamente 3 conceitos de santificação.  Santificação absoluta ou posicional que é a santificação obtida por cristo na cruz, tornamo-nos santos a partir do momento que o aceitamos. Essa santificação, não se perde e nem pode ser melhorada. Há também a Santificação progressiva ou prática que é resultado de o crente buscar aperfeiçoar a santidade em sua vida de forma prática. É um exercício diário e contínuo na vida do crente. Para que você possa compreender melhor eu fortemente recomendo que assista a esse vídeo: E hoje trataremos do terceiro tipo que é Santificação relativa ou provisória.   Esse aspecto da santificação tem a ver com pessoas sendo colocadas em um lugar limpo na Terra por meio da separação, sem necessariamente ter um trabalho interior de fé em sua alma. Ou seja, a pessoa ainda que não creia em cristo pode ser santificada, isto é, separada provisoriamen

5 provas de que A igreja não passará pela Grande tribulação? |Estudo da Grande Tribulação PART 2|

Guerras e rumores de guerras..., nação contra nação, reino contra reino, e haverá fome e terremotos em vários lugares… sereis atribulados, e vos matarão. Sereis odiados de todas as nações, por causa do meu nome.  Esse é um recorte de Mateus 24, o texto fala da grande Tribulação. OK, mas afinal o que é a grande tribulação? Para resumir A “grande tribulação” (Mt 24:21) Também é chamada de “a angústia de Jacó” (Jr 30:7), “o tempo de angústia” (Dn 12:1), e “a hora da tentação” (Ap 3:10) é um período de 1.260 dias (Ap 11:3, 12:6) e refere-se à terrível perseguição que será dirigida ao fiel remanescente judeu durante a segunda metade da 70ª semana de Daniel (Dn 9:27). Ok mas vc está dizendo que os crentes não passarão por esse período Terrível? Exatamente e aqui vão 5 motivos pelos quais a igreja não vai passar pela grande tribulação onde o 5º motivo é exatamente as 70 semanas de Daniel.  Arrebatamento x aparição de Cristo. Vejamos esses dois versículos: Mat 24:30  Então, aparecerá no céu o

Panorama do livro de RUTE |esboçando a bíblia|

  Você sabe, a bíblia é uma coleção de livros que podem ser dividido em categorias. Os primeiros 5 livros se chamam pentateuco que é uma expressão grega que significa "cinco rolos" ou cinco livros mesmo, já estudamos todos esses e vc pode encontrá-los na playlist que estará nos cards e descrição.  A próxima categoria é chamada de livros históricos. E porque se chamam assim?  Porque contam a história de Israel. Mas, na verdade, a história dos Hebreus já estava sendo contada desde o Pentateuco então a melhor definição é que eles se chamam históricos porque contam a história de Israel a partir da chegada em Canaã.   Entre os históricos estudamos o livro de Josué e no último vídeo fizemos o panorama do Livro dos Juízes, você também pode encontrá-los nos cards bem como na descrição do vídeo. Nesse vídeo de Juízes Mencionamos que foi tempos de ruína para Israel. Eles tinham acabado de entrar na terra prometida e deram as costas para as ordenanças de Deus e não expulsaram os povos d