Avançar para o conteúdo principal

Devo Jejuar? Como deve ser o Jejum? | estudo bíblico sobre jejum

 

O que é jejum? Via de regra jejum na bíblia é se abster de algo, geralmente comida.

 William MacDonald comenta:

"Jejuar é privar-se da gratificação de qualquer apetite físico. Pode ser voluntário, como em Mt 6:16-17, ou involuntário (At 27:33; 2 Co 11:27). No NT está associado à tristeza (Mt 9:14-15) e oração (Lc 2:37; At 14:23). Nestas passagens (Mt 6:16-18) o jejum é acompanhado de oração num reconhecimento da sinceridade em se discernir a vontade de Deus.


Bem o Jejum é um aliado da oração, enquanto a oração expressa a nossa dependência a Deus o Jejum comunica o desapego as coisas naturais por um período de tempo, ainda que essas coisas não sejam pecado em si. 


A primeira menção do jejum na Bíblia é encontrada em Juízes 20:26, onde Israel chorou e jejuou na presença do Senhor. Mais a frente na bíblia vemos que Ester também jejuou antes de ir ao rei Assuero para implorar por seu povo. Em Mt 4 Vemos o Senhor Jesus em jejum por quarenta dias e noites antes de ser tentado pelo diabo. E em Mt 9:15 ele salientou que, quando fosse tirado deles, seu povo jejuaria. 


Como vimos, há diversas menções ao jejum na palavra de Deus, tanto no novo quanto no velho testamento, mas o jejum deveria ter espaço na vida dos crentes atualmente? Se sim, como jejuar?  E por quanto tempo?


Bem, respondendo a primeira pergunta, sim vemos que há base no novo testamento para a prática do jejum já que depois que a igreja foi formada, o jejum foi praticado pelos responsáveis e líderes da assembleia em Antioquia, e quando se sentiram levados a enviar Barnabé e Saulo para a obra do Senhor, jejuaram e oraram antes de fazê-lo. Paulo e Barnabé também fizeram jejum quando usaram sua autoridade apostólica para ordenar anciãos nas várias assembleias (isso está em Atos 14:23). Além disso, Paulo falou sobre marido e mulher se separarem por um tempo para se dedicarem à oração” (1 Co 7:5). Embora essa passagem não cite jejum diretamenta alguns acreditam que o jejum poderia ser incluído indiretamente afinal, se o casal se apartou dos desejos naturais do matrimônio é intuitivo que nesse tempo também se aparte da comida. Assim, parece claro que o jejum definitivamente tem a aprovação de Deus na dispensação da graça.


A grande questão é como deve ser esse Jejum? Pois, sabemos que o Jejum pode ser feito errado como é o caso da ímpia Jezabel. Ela decretou um jejum em nome de seu marido Acabe, para dar um ar de religiosidade ao homicídio que estava prestes a cometer. 


Vemos também uma denúncia do profeta Isaías quanto ao mau Jejum: Eis que jejuais para contendas e rixas e para ferirdes com punho iníquo; jejuando assim como hoje, não se fará ouvir a vossa voz no alto   (Is 58:4).


Nesse mesmo sentido Paulo alertava Timóteo de que, nos últimos tempos, alguns se afastariam da fé, "dando ouvidos a espíritos sedutores e doutrinas de demônios" (1 Tm 4: 1). Uma dessas doutrinas de demônios seria "ordenar a abstenção de carnes, que Deus criou para ser recebido com ações de graça" (1 Tm 4: 3). 


Então o Jejum que a princípio é uma coisa boa pode ser feito de forma errada e pelos motivos errados.


Vemos em Jesus, a instrução para que o Jejum não seja uma devoção vazia como a dos fariseus, que extrapolavam! Ele diz:

 

 "E, quando jejuardes, não vos mostreis contristados como os hipócritas, porque desfiguram o rosto, para que aos homens pareça que jejuam. Em verdade vos digo que já receberam o seu galardão.

Porém, tu, quando jejuares, unge a cabeça e lava o rosto, para não pareceres aos homens que jejuas, mas sim a teu Pai, que está oculto; e teu Pai, que vê o que está oculto, te compensará."(Mt 6:16)

 

Também vemos aqui que o Jejum é um exercício individual do crente  e não há suporte no novo testamento para conclamar um jejum nacional ou mesmo um jejum das assembléias, pois de novo, o jejum é um exercício individual do crente que deve mantê-lo em secreto com Deus.

 

Nas palavras de William MacDonald:

 

“O jejum não tem qualquer mérito no que diz respeito à salvação, e nem dá a um cristão uma posição especial diante de Deus. Ele é valioso em épocas de crise quando se deseja discernir a vontade de Deus. E tem seu valor em promover a auto-disciplina. Jejuar é uma questão entre o indivíduo e Deus e deveria ser feito apenas com o desejo de agradar a Deus. Ele perde o seu valor quando é uma obrigação vinda de fora ou feito com o objetivo de se exibir." (W. MacDonald)

 

Isso responde a última pergunta, pois apesar de jejuar definitivamente não ser proibido hoje, e é, na verdade até encorajado pelos exemplos que vimos na Palavra de Deus, não pode haver uma regra para o jejum, pois nem no Velho, nem no Novo Testamento foi um comando direto Para nós, jejuar deve ser um exercício pessoal na presença do Senhor, e isso inclui também a duração do jejum. Não pode haver uma regra de quantas horas devemos jejuar como vemos alguns estabelecerem por aí.

 

Bem por esse vídeo é isso, espero ter ajudado se inscreva canal, fique com Deus até mais.


Comentários

Mensagens populares deste blogue

A mulher santifica o marido? O que significa Santificação relativa ou provisória?

  No último vídeo explicamos que santidade significa  “ser separado”, separado para Deus. Explicamos também que existem basicamente 3 conceitos de santificação.  Santificação absoluta ou posicional que é a santificação obtida por cristo na cruz, tornamo-nos santos a partir do momento que o aceitamos. Essa santificação, não se perde e nem pode ser melhorada. Há também a Santificação progressiva ou prática que é resultado de o crente buscar aperfeiçoar a santidade em sua vida de forma prática. É um exercício diário e contínuo na vida do crente. Para que você possa compreender melhor eu fortemente recomendo que assista a esse vídeo: E hoje trataremos do terceiro tipo que é Santificação relativa ou provisória.   Esse aspecto da santificação tem a ver com pessoas sendo colocadas em um lugar limpo na Terra por meio da separação, sem necessariamente ter um trabalho interior de fé em sua alma. Ou seja, a pessoa ainda que não creia em cristo pode ser santificada, isto é, separada provisoriamen

5 provas de que A igreja não passará pela Grande tribulação? |Estudo da Grande Tribulação PART 2|

Guerras e rumores de guerras..., nação contra nação, reino contra reino, e haverá fome e terremotos em vários lugares… sereis atribulados, e vos matarão. Sereis odiados de todas as nações, por causa do meu nome.  Esse é um recorte de Mateus 24, o texto fala da grande Tribulação. OK, mas afinal o que é a grande tribulação? Para resumir A “grande tribulação” (Mt 24:21) Também é chamada de “a angústia de Jacó” (Jr 30:7), “o tempo de angústia” (Dn 12:1), e “a hora da tentação” (Ap 3:10) é um período de 1.260 dias (Ap 11:3, 12:6) e refere-se à terrível perseguição que será dirigida ao fiel remanescente judeu durante a segunda metade da 70ª semana de Daniel (Dn 9:27). Ok mas vc está dizendo que os crentes não passarão por esse período Terrível? Exatamente e aqui vão 5 motivos pelos quais a igreja não vai passar pela grande tribulação onde o 5º motivo é exatamente as 70 semanas de Daniel.  Arrebatamento x aparição de Cristo. Vejamos esses dois versículos: Mat 24:30  Então, aparecerá no céu o

Panorama do livro de RUTE |esboçando a bíblia|

  Você sabe, a bíblia é uma coleção de livros que podem ser dividido em categorias. Os primeiros 5 livros se chamam pentateuco que é uma expressão grega que significa "cinco rolos" ou cinco livros mesmo, já estudamos todos esses e vc pode encontrá-los na playlist que estará nos cards e descrição.  A próxima categoria é chamada de livros históricos. E porque se chamam assim?  Porque contam a história de Israel. Mas, na verdade, a história dos Hebreus já estava sendo contada desde o Pentateuco então a melhor definição é que eles se chamam históricos porque contam a história de Israel a partir da chegada em Canaã.   Entre os históricos estudamos o livro de Josué e no último vídeo fizemos o panorama do Livro dos Juízes, você também pode encontrá-los nos cards bem como na descrição do vídeo. Nesse vídeo de Juízes Mencionamos que foi tempos de ruína para Israel. Eles tinham acabado de entrar na terra prometida e deram as costas para as ordenanças de Deus e não expulsaram os povos d